Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Saiba como minimizar os efeitos do clima e aumentar a produtividade da soja nesta época do ano

10 meses atrás - por:

O déficit hídrico é um dos principais fatores que influenciam na perda de produtividade da soja, em todo o Brasil. Por esse motivo faz-se necessário a utilização de alternativas de manejo que façam a redução do risco climático associado a esse fator.

Uma das alternativas a serem pensadas pelo agricultor, em conjunto com o técnico responsável pela área, são estratégias de cultivo para o tratamento do sistema solo + planta + atmosfera, de modo que, se tratando do solo é possível buscar um aprofundamento do sistema radicular para que a planta tenha uma maior disponibilidade hídrica e assim enfrentar os períodos de maior calor do ano e que reduzem a produtividade da soja. Para aumentar o sistema radicular das plantas é necessário reduzir a compactação do solo, melhorar a fertilidade desse solo em profundidade para que a raiz possa crescer e explorar a capacidade nutricional, consequentemente haverá uma melhoria da fixação biológica do nitrogênio que é essencial para alcançar altas produtividades.

Em relação à planta, um dos principais cuidados está relacionado a eficiência da semeadura e a distribuição de plantas na área. Potencializando essa eficiência é possível explorar também o solo de forma assertiva fazendo com que a planta consiga chegar a um índice de área foliar ideal capaz de captar uma máxima interceptação de radiação solar, convertida posteriormente em maior produtividade. Outro ponto a ser destacado é em relação a data de semeadura, o risco climático e a ocorrência de doenças. Especialistas recomendam realizar o manejo da lavoura fazendo a semeadura em momentos que o clima é melhor para a cultura e pior para a doença, pois deste modo é possível reduzir o índice de perdas por causa de infestação na cultura.

Um dos pontos mais complexos do sistema solo + planta + atmosfera é a própria atmosfera, porque é necessário levar em consideração que cada região do Brasil é privilegiada com diferentes condições climáticas e estas podem variar dentro da mesma safra dependendo da região em que foi plantada, da data de semeadura e da cultivar que foi utilizada. O agricultor que entende este ambiente, considerando todos estes fatores que interferem na capacidade produtiva, principalmente em relação a disponibilidade hídrica, está alocando a cultivar em momentos em que esse déficit é mínimo. Sendo assim, é possível evitar períodos de déficit muito extremos que podem penalizar a produtividade da cultura.

Entender o clima e o solo da sua região, selecionar uma cultivar que se adapte bem a estes fatores e com base nestas informações fazer o manejo da área a ser plantada é essencial para realizar um diagnóstico de todo o sistema que envolve a cultura e assim investir onde a planta precisa mais, gerando um retorno positivo na produtividade e rentabilidade da produção. O potencial produtivo da soja é muito alto e há perspectivas para que, em um futuro não tão distante, agricultores possam colher em média 100 sacas do grão por hectare.

*Fonte: Rafael Battisti, Doutor em Engenharia de Sistemas Agrícolas pela ESALQ/USP.

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post