Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Monitorar a produção de milho desde a fase vegetativa é essencial para saber a hora certa de realizar aplicações de fungicidas

7 meses atrás - por:

A ocorrência de doenças fúngicas no milho é resultante da combinação dos seguintes fatores: uso de genótipos suscetíveis; condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento das doenças; plantio direto sem rotação de culturas; plantio continuado de milho em uma mesma área; nível de resistência das cultivares às principais doenças; e não utilização de fungicidas.

Entre as doenças mais recorrentes no cultivo do cereal na região sul do país está a ferrugem comum (Puccinia sorghi) e o complexo de manchas foliares, favorecida pelas temperaturas amenas e a alta umidade relativa do ar. Das três ferrugens que ocorrem no milho, a ferrugem comum é a menos severa, provavelmente por ser uma doença antiga e bastante disseminada no país, fato este que possibilitou resistência genética. As doenças fúngicas que atacam o milho como ferrugens e a mancha branca, podem incidir ainda na fase vegetativa da cultura e, numa situação de uso de cultivares suscetíveis e de predominância de condições ambientais favoráveis, o controle químico deve ser considerado de modo a evitar que elevados níveis de doenças alcancem as folhas acima da espiga na fase de florescimento da cultura.

O primeiro fator a ser observado pelo agricultor antes de realizar o manejo da cultura é o nível de resistência do milho em relação às principais doenças presentes na região e na propriedade. O surgimento de doenças fúngicas que podem afetar a cultura do milho é extremamente alto, sendo assim, o controle químico com o uso de fungicidas vem sendo empregado para suavizar os danos causados na produção. Entretanto, realizar esse controle de forma inadequada pode aumentar a pressão de seleção sobre os patógenos e induzir a resistência destes agentes causais.

A época adequada de aplicação dos fungicidas interfere diretamente nos custos de produção, por isso é importante definir com um técnico ou agrônomo o melhor estágio de aplicação destes insumos, visando maximizar a produtividade e diminuir os impactos negativos para o meio ambiente. Todo esse trabalho depende de um monitoramento da lavoura que deve ser iniciado ainda na fase vegetativa da cultura, identificando o tempo certo de aplicação de fungicidas com o equipamento certo e na dose certa para cada área produtiva.

 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post