Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Como a análise do solo é uma importante técnica para potencializar a produtividade das lavouras?

1 mês atrás - por:

Após chegar ao seu crescimento recorde no ano de 2020, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro, calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), teve alta de 5,35% no primeiro trimestre de 2021.

Considerando os desempenhos do agronegócio, até o presente momento, assim como, da economia brasileiro, o Cepea/CNA estima que a participação do setor no PIB total brasileiro pode ultrapassar os 30% neste ano. E, esses dados, só reforçam o quanto a agricultura é representativa no desenvolvimento do Brasil, aumentando assim, a responsabilidade dos agricultores em tornarem as suas propriedades cada vez mais rentáveis.

Para que o agricultor obtenha máxima produtividade na sua lavoura, diversas técnicas passaram a ser discutidas para melhorar esses processos. Cada cultivo exige uma atenção e um cuidado diferente na lavoura, no entanto, existem outras ferramentas que permitem que o agricultor tenha mecanismos para se precaver de possíveis perdas de produtividade durante o cultivo.

Neste contexto, o mapeamento da fertilidade do solo é uma das estratégias que podem ser utilizadas pelos agricultores, para evitar problemas futuros. A partir deste procedimento, é gerado um diagnóstico preciso das necessidades de nutrientes do solo, permitindo ao agricultor ter a possibilidade de escolher a melhor alternativa de fertilizante e dose deste para a sua lavoura, uma vez que, com o mapeamento da fertilidade do solo, é possível equilibrar os nutrientes e verificar quais a subáreas que estão necessitando de cuidados naquele momento.

A análise química do solo é fundamental para o produtor conhecer a real necessidade em quantidade e tipo de nutriente que o solo precisa. Através da coleta de solo georreferenciada é possível criar mapas de fertilidade química e através destes mapas, corrigir as deficiências e excessos destes nutrientes em cada local. Dessa forma, a eficiência na utilização de um fertilizante ou corretivo é melhorada, tendo por consequência o aumento do potencial produtivo das áreas que recebem este tratamento.

O mapeamento detalhado do solo, além de determinar a quantidade de macronutrientes como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre, que são os mais exigidos pela planta, também detectam os micronutrientes, como zinco, ferro, magnésio, entre outros, exigidos em menor quantidade, mas que também são importantes para a boa produtividade.

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post