Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

O que é possível fazer para evitar prejuízos no período de florescimento da soja

1 ano atrás - por:

Atualmente, além das necessidades corriqueiras de manejo na cultura da soja, também há uma crescente necessidade no uso de informações técnicas para obter-se melhores performances das culturas.

Logo após o término do plantio da soja, já recomenda-se o monitoramento da lavoura nos momentos iniciais de emergência, principalmente se o clima estiver desfavorável. Dentro do processo que envolve o crescimento da soja, o florescimento é um dos estágios mais sensíveis que a cultura passa, porque é neste momento em que nascem as flores, das quais irão virar vagens e posterior o grão.

É justamente neste período de florescimento da planta, que ocorrem o maior número de incidência dos prejuízos na lavoura, fato que geralmente está ligado a questões abióticas, ou seja, acontecem devido o clima, como por exemplo, em períodos de temperaturas elevadas, tempo seco, etc., o que pode prejudicar a planta e fazer com que ela perca as flores, consequentemente, não terá vagens e irá diminuir o potencial produtivo.             

A planta passa por um estágio de estresse quando ocorrem esses fenômenos, no entanto, algumas medidas podem ser tomadas para que esse estresse seja amenizado, entre eles, a aplicação de aminoácidos e hormônios específicos para a cultura que fazem com que a mesma se fortaleça, ficando preparada para suportar um estresse, e dessa forma, beneficiar a cultura.

Outro fator bem importante é o cálcio e boro do solo. Eles precisam estar em níveis ideais, pois estão diretamente ligados à fixação da vagem no caule, a polinização das flores, exigindo que esses teores estejam em níveis altos para que ocorra de maneira satisfatória.

“Existe a aplicação de cálcio e boro via pulverização nessa fase, dependendo do período eles tem um bom efeito. Pela floração tratar-se de um período extremamente sensível e delicado, todos os processos precisam ser ideais, desde questões ambientais, até às questões de solo, para que então, a planta possa expressar todo o seu potencial.”– argumenta o engenheiro agrônomo, Rodrigo Rossato.

Além disso, todo manejo realizado anteriormente e o investimento feito em adubação no solo, nos controles preventivos de doenças, pragas e plantas daninhas, logicamente irão se refletir nesse período, isso porque a planta estará sem nenhuma competição ambiental e expressará todo seu potencial produtivo.

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post