Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

O impacto da nutrição na produtividade da lavoura

1 ano atrás - por:

A nutrição da planta é como um combustível necessário para que ela possa expressar o seu rendimento e está ligada ao crescimento vegetativo e desenvolvimento radicular. É através dos nutrientes absorvidos e translocados que a produtividade de uma lavoura pode ter o resultado positivo ou negativo. No caso da fase vegetativa, momento de estruturação da planta, os macros e micronutrientes devem estar presentes no solo de forma adequada para que os hormônios de crescimento sejam favorecidos e todo o desenvolvimento dos estágios vegetativos aconteçam de forma normal. Na fase reprodutiva, a nutrição é também fundamental para diminuir o estresse das plantas e formar os grãos com peso e qualidade adequados.

Por se tratar de época de entressafra, é possível dizer que este é o momento certo para que o agricultor faça o planejamento e construa a fertilidade adequada da sua lavoura para a próxima safra. Esta construção passa pela tomada de decisões baseadas nas informações que ele tem em mãos. Estes dados de solo podem ser gerados através de amostras de solo retiradas com critérios de qualidade amostral e analisadas em laboratórios confiáveis. Através das informações obtidas, é possível ter conhecimento sobre os nutrientes presentes no solo, e também estimar a quantidade e disponibilidade dos mesmos no solo, montando, assim, uma estratégia de manutenção ou correção dos níveis destes nutrientes para que as fases de desenvolvimento vegetativo e reprodutivo não sejam prejudicadas pela falta de algum nutriente. Com esses números em mãos o agricultor corre menos riscos de errar ao fazer a adubação do solo e calagem, além de ter informações precisas sobre cada talhão da lavoura e as doses a serem aplicadas com precisão.

A nutrição de uma lavoura não é algo tão visível aos olhos dos agricultores, comparado ao manejo de pragas e doenças, mas interfere diretamente no resultado da produção. Olhar para o solo e identificar o que realmente a planta precisa é muito difícil. São, no mínimo, 17 nutrientes que se relacionam entre solo e planta. Além disso o excesso ou a falta de cada um deles afeta no planejamento do produtor, que ao invés de fazer a compra pensando na adubação geral da lavoura, pode tratar cada hectare de acordo com a necessidade nutricional do mesmo, aumentando a eficiência da sua adubação e colhendo os resultados de rentabilidade que o mapeamento da fertilidade pode lhe entregar.

A época em que vivemos é muito diferente do passado onde havia um movimento maior de êxodo rural. Hoje a geração de filhos de produtores está voltando para as propriedades, trazendo as novas tecnologias que ajudam o agricultor na tomada de decisões mais assertivas, baseadas no diagnóstico laboratorial de análises de solo e planta. Assim, o agricultor deixa de lado aquela adubação tradicional e, baseado em informações, trabalha com planejamento de adubação e com a agricultura de precisão. Hoje não existe uma receita genérica para fazer o manejo nutricional de planta, o agricultor precisa ter parâmetros e informações para manejar cada a fertilidade, conforme cada momento da planta de acordo com a necessidade.

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post