Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Mapeamento de fertilidade do solo: uma alternativa para a rentabilidade na lavoura

2 anos atrás - por:

Nas últimas décadas, a agricultura vem passando por inúmeras mudanças em seus processos. Consequência disso, está na busca constante por maior rentabilidade atribuída aos altos custos de produção e a competitividade existente.

Existem vários fatores que limitam a produtividade das lavouras, alguns pesquisadores listam mais de 50 itens, e entre os mais comuns está a variabilidade da fertilidade do solo. Por isso, através de ferramentas que a Agricultura de Precisão (AP) utiliza, pode-se gerenciar melhor as atividades agrícolas e melhorar sua eficiência, pois através do mapeamento da fertilidade consegue-se aplicar os insumos no local Certo,  na quantidade Certa, utilizando a fonte Certa do adubo e no momento Certo, sendo este conceito já difundido mundialmente como MANEJO 4C. Alguns pesquisadores da área também afirmam que ao utilizar as ferramentas da Agricultura de Precisão eleva-se a eficiência e a rentabilidade da atividade agrícola, com base no manejo localizado, respeitando a variabilidade do solo e da planta existente na área. 

O mapeamento de solo tem como premissa, respeitar os processos de qualidade de amostragem, a partir de equipamentos desenvolvidos e calibrados para tal finalidade, número de subamostras representativas com o objetivo de que a amostra de solo realmente represente a fertilidade do local em questão. Dessa forma, a eficiência na utilização de um fertilizante ou corretivo é melhorada, gerando, assim, o aumento do potencial de produtividade das áreas que recebem este tratamento. 

Na AgroPrecision, o processo de mapeamento de fertilidade do solo, subdivide-se em duas etapas:

AMOSTRAGEM DE SOLO: Neste processo o contorno da área é feito com o auxílio de um GPS acoplado no quadriciclo e operacionalizado por um técnico agrícola. Quando o contorno da área já está inserido no GPS, divide-se a mesma conforme o grid/grade contratado e inicia-se as coletas das amostras de solo, respeitando-se o número de subamostras necessárias, com equipamento hidráulico, utilizado para evitar que o cansaço do operador prejudique a qualidade da amostragem e equipado com regulador de profundidade para assim, bem representar a fertilidade de cada local. Após esse processo, as amostras são encaminhadas ao laboratório escolhido pelo agricultor, dentre aqueles que fazem parte do programa de qualidade do ROLAS;

MAPEAMENTO: Assim que os resultados do laboratório são enviados à AgroPrecision, inicia o processo de construção dos mapas de fertilidade. Os mapas são autoexplicativos e de fácil compreensão, possibilitando a visualização das necessidades de cada hectare da lavoura a partir de cores indicativas em cada escala. A entrega do mapa de fertilidade sempre é feita por profissionais habilitados e com a presença do proprietário da lavoura, para que a execução das interferências que podem acontecer na área já ocorra e assim os resultados comecem a surgir.

Portanto, investir em métodos precisos contribui para o aumento da eficiência de todos os processos da lavoura. 

 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post