Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Lagarta do cartucho pode gerar cerca de 40% de perdas na produção do milho

5 meses atrás - por:

A principal praga da cultura de milho no Brasil, a lagarta do cartucho (Spodoptera frugiperda) causa danos econômicos e prejuízos em uma média de 20% a 22% no rendimento da safra, podendo chegar em até 40% de perdas dependendo do nível de ataque e do cultivar do cereal que está sendo utilizada. Para que o agricultor continue tendo retorno no cultivo de milho e obtenha menos perdas na produtividade, algumas medidas de prevenção devem ser tomadas, sendo a dessecação da lavoura uma das principais delas.

A lagarta ataca o milho desde a emergência da planta até a formação da espiga. Os danos ocorrem atacando a base da planta causando injuria e morte da plântula, geralmente quando a lagarta esta em estádio de desenvolvimento mais avançado, e quando a lagarta está pouco desenvolvida e a planta está maior, a praga danifica geralmente as folhas, causando primeiramente uma raspagem na folha e posteriormente causa um dano intenso na planta, com buracos nas folhas e a deposição de ovos, causando a diminuição da área foliar da cultura e “porta” para a entrada de doenças. Neste caso, o controle deve ser priorizado com aplicações sequencias, mas o índice de sucesso é bastante alterado.

É no início da infestação da lagarta que se deve pensar em maneiras de controlar os danos e a proliferação da praga nas plantas de milho. A lagarta ataca em todo o ciclo de desenvolvimento do milho. Na fase final, com o ataque a espiga, ela causa a penetração de água e fungos, o que causa prejuízos ainda maiores para o agricultor. O período mais sensível aos danos na espiga ocorre entre o pré-florescimento e uma semana após o florescimento onde as lagartas iniciam sua alimentação nas folhas e posteriormente migram para espiga causando danos bastante expressivos.

O método mais comum de controle da lagarta do cartucho é o químico com a utilização de inseticidas. A utilização de milho transgênico também pode ser uma ferramenta de controle da lagarta do cartucho, pois o milho com tecnologia Bt, foi geneticamente modificado através da introdução de genes específicos da bactéria de solo, Bacillus thuringiensis (Bt), que tem a função de promover na planta a produção de uma proteína tóxica específica para repelir determinados grupos de insetos.

Para diminuir a possibilidade de aparição de insetos praga na cultura do milho, principalmente a lagarta do cartucho, é importante que o agricultor faça a dessecação da lavoura antes do plantio, deste modo, se houver presença de lagartas pode-se realizar a aplicação de inseticidas fisiológicos, controlando as lagartas e promovendo uma ‘limpeza’ na lavoura.

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post