Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Cultura do milho: aplicação de nitrogênio em taxa variável pode auxiliar na produtividade

8 meses atrás - por:

O milho é um cereal de grande importância econômica e estratégica entre os grãos cultivadas, especialmente, porque sua grande utilização, está relacionada com a cadeia de produção agroindustrial de aves e suínos, como produto da alimentação animal. Entre os cereais cultivados no Brasil, o milho é, o mais expressivo em termos de produtividade, atribuição concedida, em virtude das suas características fisiológicas e também, porque é possível obter mais de uma safra do cereal por ano.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, no ranking nacional de produção de milho o Brasil é o terceiro maior produtor do cereal, com aproximadamente 8% do total produzido no mundo em 2015.  Entre os estados, o Rio Grande do Sul é o sexto maior produtor de milho em grãos do Brasil, superado pelos estados de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e Mato Grosso.

Apesar da alta produção de milho no Brasil, ainda se considera que o cereal tenha um nível médio nacional de produtividade baixo. Os diferentes sistemas de produção de milho deverão ser ainda aprimorados para se obter um aumento na produtividade e na rentabilidade dos agricultores. Um dos fatores que podem contribuir para que se obtenha esse aumento e melhoria da eficiência na produção do milho são os fertilizantes nitrogenados, dentre os quais a ureia é a mais utilizada e a mais sujeita a perdas de Nitrogênio.

Este nutriente é quantitativamente o mais exigido pela cultura do milho, tendo um alto custo na sua produção e eficiência muito variável devido a inúmeros fatores. Com o intuito de aumentar a eficiência de resposta, aliada ao potencial produtivo de cada local obtendo-se maior rentabilidade da safra do cereal, a AgroPrecision realiza serviços especializados de mapeamento para a aplicação de nitrogênio em taxa variável.

A aplicação de insumos em taxa variável na agricultura de precisão, considera a variabilidade espacial da fertilidade do solo, através de fatores como: teor de nutrientes, população de plantas, e, entre outros. Esta forma de aplicação fornece insumos de acordo com a necessidade específica de cada talhão da lavoura, sendo que o grande diferencial está na aplicação em taxa variável não trabalhar com médias, como na agricultura convencional, mas sim, gerando dados específicos de cada subárea através dos mapas de fertilidade.

Através da aplicação de nitrogênio em taxa variável, é possível obter uma utilização do fertilizante otimizada, permitindo a melhor eficiência no aproveitamento deste nutriente pela planta. Este tipo de aplicação, entrega ao produtor diversos benefícios, entre eles, o aumento da rentabilidade, otimização do produto, menor dano ao ambiente e aplicação durante o cultivo.

 

 

 

 

 

 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post