Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Como obter maior rentabilidade na safra de soja com tratamento de inoculação das sementes

10 meses atrás - por:

O Nitrogênio (N) é o principal nutriente da soja e este é absorvido através do processo de simbiose de bactérias juntamente com as raízes das plantas.  Em áreas novas, se o agricultor não fizer o processo de inoculação das sementes, ele terá um rendimento quase nulo de produção da cultura porque ainda não terá o Nitrogênio no solo. Mesmo em áreas velhas onde essa bactéria já foi introduzida, se o agricultor inocular a soja todos os anos, ele terá um aumento médio de 8% no rendimento da safra. A inoculação de sementes é uma tecnologia altamente sustentável, com um alto retorno para o agricultor e custa cerca de oito a dez reais por hectare, significando uma economia de 300 a 400 reais por hectare utilizando uma ferramenta que é amiga do meio ambiente.

Este nutriente (N) pode ser obtido junto aos fertilizantes nitrogenados, porém estes são mais caros, tem o preço em dólar e dificuldade de transporte. Podemos ressaltar que a grande vantagem da soja é a capacidade que ela tem de se associar a algumas bactérias para, assim, captar o nitrogênio do ar e transformá-lo na mesma forma do nitrogênio fertilizante. Quando o agricultor consegue utilizar essas bactérias ha uma economia grande porque ele não precisa utilizar o N fertilizante e essas bactérias conseguem fornecer todo esse nutriente para a planta. Então o agricultor precisa fazer a inoculação (processo de colocar essas bactérias junto das sementes) para obter esses benefícios.

A soja precisa muito de nitrogênio porque o grande parte do seu grão é formado por proteína, que tem como componente principal o nitrogênio, então para que se tenha um rendimento de mais de 3.000 kg do grão por hectare é necessário que a soja tenha mais de 300 kg de N/ha e para cada tonelada de grãos de soja exportada, são necessários aproximadamente 80 kg de N/t, comprovando a importância da fixação biológica feito pela inoculação.

O processo de inoculação deve ser feito com, no máximo, 24 horas de antecedência da semeadura da soja, tomando o máximo de cuidado para que se tenha uma distribuição homogênea do inoculante nas sementes que serão utilizadas. Com isso, cada uma das sementes terá uma quantidade mínima de bactérias que se transformarão em nódulos na raiz e esses terão a capacidade de fixar nitrogênio na planta. Quanto maior o número de nódulos, maior será também a eficiência do processo e a absorção de N, juntamente com nódulos localizados na coroa – região próxima da raiz principal, porque os outros nódulos são provenientes do solo e já foram cruzados por isso possuem uma eficiência menor.

Fonte: Mais Soja

 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post