Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Como a análise do solo pode auxiliar na otimização dos recursos financeiros nas lavouras?

1 mês atrás - por:

O agronegócio brasileiro se tornou um dos setores mais importantes no que tange a movimentação da economia no país, exemplo disso, está no dado divulgado pelo site CNA Brasil, demonstrando que em 2019, a soma de bens e serviços gerados no agronegócio chegaram a R$ 1,55 trilhões, representando 21,4% do PIB do Brasil. 

Mas para que esses resultados aconteçam de forma eficiente, o agricultor passou a ter uma grande responsabilidade acerca do seu potencial produtivo em suas lavouras. Dessa forma, diversos procedimentos começaram a ser discutidos para melhorar cada processo da ‘porteira para dentro’, desde o planejamento até a colheita.

Cada cultura exige uma atenção e um cuidado diferente, demandando que o agricultor busque ferramentas e alternativas que possam garantir uma excelente produtividade, focando principalmente, em recursos que sejam capazes de assegurar precauções quanto às percas no cultivo. 

Os engenheiros agrônomos Leonardo Rossato e Rodrigo Rossato, comentam desde 2005, a AgroPrecision vem buscando otimizar esses recursos, atualizando-os e melhorando-os em cada processo, como no mapeamento da fertilidade do solo.  A partir deste mapeamento é gerado um diagnóstico preciso das necessidades de nutrientes do solo, permitindo ao agricultor ter a possibilidade de escolher a melhor alternativa de fertilizante e dose deste para a sua lavoura.

A análise química do solo é fundamental para o produtor conhecer a real necessidade em quantidade e tipo de nutriente que o solo precisa. Através da coleta de solo georreferenciada é criado mapas de fertilidade química e através destes mapas, corrigir as deficiências e excessos destes nutrientes em cada local. Dessa forma, a eficiência na utilização de um fertilizante ou corretivo é melhorada, tendo por consequência o aumento do potencial produtivo das áreas que recebem este tratamento.

O mapeamento detalhado do solo, além de determinar a quantidade de macronutrientes como nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e enxofre, que são os mais exigidos pela planta, também detectam os micronutrientes, como zinco, ferro, magnésio, entre outros, exigidos em menor quantidade, mas que também são importantes para a boa produtividade.

Saber precisamente o que o solo necessita é de extrema relevância, para assegurar um potencial produtivo maior, a partir do mapeamento da fertilidade do solo, diversos problemas podem ser evitados, gerando assim, otimização dos recursos financeiros e a máxima produtividade da cultura. 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post