Fique por dentro das novidades!

Agronegócio

Agricultura de precisão: a chave para a alta eficiência e rentabilidade

2 meses atrás - por:

Há 26 anos, mais precisamente em 1992, foi o ano em que se começou a ser discutido o termo “agricultura de precisão” (AP) utilizando o mapeamento da fertilidade do solo. Com o desenvolvimento das tecnologias em curtos espaços de tempo e tão rapidamente podemos dizer que este modo de manejo do solo é novo e ainda está se firmando nas propriedades dos agricultores. No princípio o conceito de AP estava voltado ao método de gerenciar as lavouras considerando que o solo não é uniforme, e sendo assim, conseguir tirar proveito dessa desuniformidade e tratar a lavoura de acordo com a necessidade de cada local. Neste mesmo período inicial nasceram duas vertentes principais de estudos no meio da AP, uma delas tratava sobre a variabilidade espacial do solo e a outra sobre as tecnologias relacionadas a GPS e GNSS.

A prática da agricultura de precisão nas lavouras brasileiras hoje, estão baseadas na aplicação de técnicas de georreferenciamento da fertilidade do solo com aplicação em taxa variável de calcário, gesso, fósforo, potássio e enxofre tendo como base, dados de amostragem georreferenciada em grids. A partir desta etapa são criados mapas de fertilidade contendo informações sobre a nutrição do solo que identificam as necessidades específicas de cada área da lavoura, para que então se possam fazer intervenções localizadas de forma automatizada, melhorando a fertilidade do solo e consequentemente o rendimento da lavoura.

No Brasil, os números de adoção das tecnologias de AP pelos agricultores ainda são baixos. Pesquisas da Universidade de São Paulo detectaram que em 2017 apenas 13,5% deles utilizam alguma técnica relacionada a variabilidade espacial das lavouras. Sendo assim, pouca área de cultivo foi georreferenciada e recebe o tratamento de acordo com a necessidade específica de cada talhão. A agricultura de precisão é o setor da agricultura que mais trabalha com tecnologia e que demanda soluções digitais mais organizadas. Esse caminho está criando um banco de dados cada vez maior que possibilita ao agricultor e aos técnicos da área a tomada de decisões mais assertivas a respeito do tratamento das culturas.

O cenário atual da agricultura de precisão mostra o agricultor com uma disponibilidade imensa de sistemas de pulverização, máquinas, fertilização, semeadura, e outros em um mercado no qual cada empresa vende um sistema próprio, inovador e traz a possibilidade de criar maior número de dados, informações e mapas da lavoura. O momento agora também é de buscar tecnologias que unam esses sistemas, gerando dados e informações específicas sobre a produção de todas as regiões do Brasil. A agricultura de precisão e a tecnologia no campo estão à disposição do agricultor para que ele melhore a sua rentabilidade tratando o solo, semente, planta, grãos e cereais da maneira correta, com menos desperdício, fazendo economia, produzindo mais e obtendo um lucro maior.

 

Por:
AgroPrecision
Posts do autor

Comentários sobre este post